Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007
O sabor da política mudasti

Programa do Governo: O PS entende que é necessário reforçar a legitimação democrática do processo de construção europeia, pelo que defende que a aprovação e ratificação do Tratado deva ser precedida de referendo popular.

25 de Abril de 2007: José Sócrates diz que Governo mantém intenção de referendar Tratado da UE

23 de Junho de 2007: Confrontado com a posição do PSD, que exige a realização de um referendo, o chefe de Governo sublinha que “tal como os outros países da UE”, Portugal irá decidir "depois de ter o texto do tratado” aprovado.

19 de Outubro de 2007: José Sócrates explica que a questão da ratificação do Tratado Europeu só será tratada após a assinatura do documento.

publicado por Pedro Sales às 16:37
link do post | comentar |

Comentários:
De Anónimo a 23 de Outubro de 2007 às 10:37
Sem desprimor para o Jerónimo de Sousa,acho que sendo secretário geral de um partido e deputado podia ter continuado a estudar.Ele diz que aprendeu com a vida mas há coisas que só se prendem na escola.


De Paulo Mouta a 23 de Outubro de 2007 às 02:40
Só mais uma coisa. E para não variar para o Sr. Lino José. O Sr. Jerónimo de Sousa não é engenheiro nem por tal consta que alguma vez se tenha feito passar. Tem o 4º ano do antigo curso industrial (que penso equivaler ao nosso actual 10º ano mas muito mais exigente. Quem souber corrija-me se estiver errado p.f.) e tanto quanto sei esteve desde 1972 até pelo menos 1995 na MEC, uma empresa que creio ter tido instalações na Póvoa de Santa Iría (Concelho de Vila Franca de Xira), onde consta ter sido "afinador de máquinas".


De Paulo Mouta a 23 de Outubro de 2007 às 01:58
Ora aqui está um belo exemplo de democracia. Isto para o nosso caro amigo Lino. Eu já fui militante do PCP. Sou profundamente de esquerda, da esquerda Socialista, e no entanto sou profundamente europeísta. Este tratado tem aspectos muito negativos mas também tem aspectos muito positivos. E isso iremos ver daqui a alguns anos. Este projecto europeu em concreto está direccionado para uma maior competetividade perante os mercados mundiais. Contudo não nos podemos esquecer que isso irá criar ondas de choque enormes. Nomeadamente perdas de direitos loborais. E estas coisas hoje não podem ser combatidas a um nível local. A globalização tem duas faces, uma má porque estamos todos interdependentes actualmente num sistema neo-liberal. E uma boa, porque estando todos nesse mesmo contexto temos uma outra globalização, uma nova forma de internacionalismo, conceito que a esquerda infelizmente há muito abandonou. O grupo das esquerdas europeias e verdes nósdicos no PE tem desenvolvido um excelente trabalho. O surgimento do European Left Party parece-me um passo sensato nessa internacionalização das esquerdas modernas.
Sou contra o referendo, mas se ele avançasse votaria SIM ao tratado porque é fundamental que exista uma construção europeia. Pode não ser a ideal neste momento mas só podemos melhorar algo que existe de facto.


De Alexandre Lagoa a 22 de Outubro de 2007 às 18:36
Eu não sou nem do PCP, nem - deus me livre - do BE, assim como não sou nem do PSD, nem do PS e nem do PP, nem dos Verdes, nem dos Nacionalistas, nem da Nova Democracia, nem de seja-lá-o-que-for que têm o Manuel Alegre e a Helena Roseta, enfim, não sou de lado nenhum, e posso já dizer-lhe que, tendo em conta o que compreendo deste Tratado - já percebi uma série de coisas só com o meu esforço e interesse em percebê-las, imagine-se! - que por mim ele não passa... cabe-lhe na cabeça isto?


De Lino José a 21 de Outubro de 2007 às 13:42
Claro que a carneirada do PCP e do BE não vão ter esta trabalheira toda. Limitam-se a escutar atentamente os respectivos Grandes Líderes que lhes resumirão a coisa a esta frase gasta : "politicas de direita".

E é quanto chega para lá irem eles, de cabeça baixa, a votarem esclarecidamente Não !

Um circo na verdadeira acepção da palavra !


De Lino José a 21 de Outubro de 2007 às 13:34
Por exemplo eis duas ou três questões acerca do novo Tratado sobre as quais o Zé dos Anzóis terá de se debruçar atentamento, no intervalo dos futebóis e das telenovelas, com vista a dar uma opinião avalizada num possível referendo ao dito :

- Se concorda em dar ao chamado "compromisso de Ioannina" a natureza irrevogável de um protocolo anexo ao tratado e não apenas de uma simples declaração igualmente anexa mas mais facilmente removível, como a Polónia acordou.

- Se concorda com a criação do novo cargo de Alto Representante da União para Relações Exteriores e a Política de Segurança, que será ao mesmo tempo vice-presidente da Comissão Européia e vai comandar um serviço de ação exterior.

- Se concorda com a instauração do novo sistema para o cálculo da maioria qualificada na tomada de decisões.

Pois...

Se houver referendo, espero que seja num dia como o de ontem, com 27 grauzinhos de temperatura e água do mar morninha.


De Lino José a 21 de Outubro de 2007 às 13:22
Anónimo, fez muito bem em dar a sua opinião porque concordo em absoluto com ela. Acho que é isso mesmo que vai acontecer, as pessoas, na sua maioria não vão lá pôr os pés, e as restantes vão ter de ouvir os especialistas e vão continuar a não perceber as tecnicalidades do documento, e vão acabam por ir votar de acordo com a opinião dos partidos com que simpatizam.

Ou sejam, acabam por sujeitar a sua opinião à dos partidos.

Mas eu pergunto : isso é que é um referendo popular ? Isso acaba por seu um votação parlamentar feito na rua, com muito mais despesa.

Eu gostava qeu o sujeito deste blogue, dissesse se acha que o cidadão comum está habilitado a opiniar sobre as minudências técnicas de um Tratadao com não sei quantos artigos, elaborados por especialistas.

Poupem-me à demagogia.

É a mesma coisa que os idiotas do norte a pretenderem que se faça um referendo sobre o Novo Aeroporto de Lisboa, como se as pessoas fossem todas engenheiros ou especialistas em tráfego aéreo e, neste caso, juristas.


De Lino José a 21 de Outubro de 2007 às 12:40
Esclareça-me uma coisa Paula Moura : o Jerónimo de Sousa é operário de quê ? E desde quando ?

Já agora não me vai dizer que o Manuel Alegre é trabalhador, ou sequer que sabe fazer alguma coisa ...

Abra os olhos !


De Anónimo a 21 de Outubro de 2007 às 12:19
O que eu penso depois de ouvir as opiniões do CDS,PSD,PS,o Socrates até vai fazer o referendo,e o tratado passa.A matéria em discussão é muito complicada,vai haver debates,mas os eleitores na sua maioria ou não vão votar,ou seguem a opinião dos partidos da sua preferencia.


De Paulo Mouta a 21 de Outubro de 2007 às 02:47
Já pensou o nosso habitual amigo Lino que tem sempre a possibilidade de NÃO ler este blog? Não tem de perder o seu precioso tempo com estes textos de gente influenciada, segundo as suas palavras, por políticos analfabetos como o Jerónimo. Olhe que está no bom caminho. Começa-se por aí. Diminuir as pessoas pelo seu grau académico. Realmente, um operário que nem sabe falar, como pode ele defender seja que ideias forem se possivelmente nem tem estrutura intelectual para as perceber? É isso que pensa não é? Confesse que lhe irrita o facto de haverem na esquerda, como na direita, intelectuais de grande valor a defender exactamente as ideias que o senhor tanto odeia. E como são de esquerda passam automaticamente à categoria de pseudo-intelectuais. Da mesma forma que um cientista comprovou que os negros são menos inteligentes que os brancos o senhor pode até afirmar que os intelectuais de esquerda são menos intelectuais que os de direita. E vejam, comprova-se. Tanto é que em portugal até são liderados por um analfabeto operário!


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds