Comentários:
De Luísa a 29 de Julho de 2007 às 11:50
concordo. bom post.
ainda por cima o second life, pela sua lógica de funcionamento, tende a reproduzir a realidade não-virtual. na volta, tb lá os processos vão acumular.
acrescento q fiquei receosa de q alberto costa se dedique a jogar simcity durante o próximo mandato.


De Jam a 29 de Julho de 2007 às 00:52
No outro extremo, é deprimente a reprovação recorrente da Ordem de Advogados a qualquer tentativa, por parte de advogados, de formar centros virtuais (e até físicos) deste género. Se o virtual pode ser exagerado, não é mais do que uma extensão da sua 'doutrina' em relação a "lojas" de advogados, que fomentam uma maior proximidade e abertura, que se nota quando estão em causa questões mais 'simples'.


De GWB a 28 de Julho de 2007 às 21:01
Muito bem vista esta entrada.
E, não nos esqueçamos que é o dinheiro dos cidadãos que irá financiar o tempo gasto por estas criaturas, que irão se dedicar aos "avatars".
Quem será o privilegiado do gabinete do ministro que irá brincar o dia todo às mediações no SL?
É um grande benefício poder enfiar-se num mundo de faz de conta, sem dúvida, enquanto a realidade dói cá fora.
Se calhar é o que o Governo Sócrates pensa de tudo. Não distingue os humanos dos avatars e pensa que tudo é um jogo. Aplicam o que aprenderam sobre gestão em algum jogo de computador onde o fundamento do jogo era conter o défice, e onde pouco importava a vida dos cidadãos.
E, mesmo que os cidadãos barafustassem, não havia nada de mal - é um jogo.
Sócrates que se cuide, porque o seu governo nas próximas eleições ainda recebe um "game over".


Comentar post