Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2008
E a Portela?
O ministro Mário Lino, com cara de poucos amigos, junto dos gémeos Sócrates

O aeroporto vai ser em Alcochete. Depois do volte-face no pagamento às prestações do retroactivo das pensões, é a segunda vez que o Governo cede no espaço de dois dias. Só que, ao contrário da primeira, o Governo envolveu-se dos pés à cabeça na defesa da Ota. Era um “compromisso pessoal” de Mário Lino, ministro cujos acalorados argumentos entraram instantaneamente para o anedotário nacional. O Governo recuou e fica-lhe bem. Que o ministro permaneça compreende-se pior.

Mesmo cedendo na localização do aeroporto, o governo parece insistir no desmantelamento da Portela. Ontem, nunca falou na complementaridade das duas infra-estruturas. A Portela foi a carta ausente do baralho. Não se compreende. Fazia sentido complementar os dois aeroportos. Fica mais barato, permite uma construção faseada do novo e uma maior capacidade para, articulando os dois aeroportos, ir respondendo às alterações nos fluxos e a novos comportamentos turísticos. A tentação de construir uma gigantesca cidade aeroportuária e abdicar da centralidade e centenas de milhões de euros investidos na Portela é grande. Não há governo que não trema de contentamento perante a hipótese de associar o seu consulado a uma obra emblemática. Até agora, Sócrates só tem diminuído as pensões e fechado centros de saúde. Obra para encher o olho e impressionar os eleitores, nada. Sócrates pode estar de relações cortadas com Alberto João Jardim, mas sabe tão bem como este que é de inaugurações que o “meu povo gosta" Esta inacção construtora é que não pode continuar. "Jamé, Jamé".

PS:
Começam a faltar argumentos para classificar os despropósitos diários de Luís Filipe Menezes. A conferência de imprensa que ontem deu para dizer que o Governo "muda frequentemente de opinião, e que mostra convicções pouco profundas”, andando a “reboque de posições tomadas apropriadamente pelo PSD em Outubro, quanto ao referendo, e em relação à OTA, nas últimas semanas” foi patética. As mudanças de posição do Governo correspondem, sem tirar nem pôr, às do PSD. Por isso a referência às últimas semanas. É que, para ser justo, se o Governo andou a reboque de alguém foi de Marques Mendes. E Menezes andou a reboque de toda a gente, tentando fazer esquecer os dois anos em que assinou artigos a defender tudo o que Sócrates dizia, da Ota ao encerramento das urgências. O boneco do Contra-Informação de Menezes não lhe faz justiça. O original é muito mais engraçado.
Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 08:24
link do post | comentar |

Comentários:
De Apache a 11 de Janeiro de 2008 às 21:23
A Portela deve ser desmantelada. Aliás, a discussão Ota ou Alcochete só serviu para esquecer de vez, a alternativa Portela + 1, ou ainda melhor, Portela + 0.

”o congestionamento da Portela.” Isso existe mesmo, Max? O esbanjamento de dinheiro é real, os argumentos ficcionados não deviam ser válidos.


De max a 11 de Janeiro de 2008 às 19:39
caro Pedro,

Concordo com a generalidade do que escreve. Mas tenho algumas dúvidas quanto à racionalidade da utilização de dois aeroportos simultaneamente.

Não se me afigura líquido que um aeroporto secundário possa desvanecer o problema essencial que temos: o congestionamento da Portela.

Não é claro que tal seja a solução, por exemplo, para desviar tráfego low cost. Mesmo estas companhias - causas de todo o crescimento de passageiros verificados nos últimos anos - tendem, ao contrário do preconceito dominante, a escolher os aeroportos principais para as suas operações. As excepções trazidas por companhias como a Ryanair ou a WizzAir apenas confirmam a regra. E perante isto, muito provavelmente apenas criaríamos tráfego novo para Alcochete, muito provavelmente em consequência da diferença de taxas cobradas. A maior das companhias continuaria a preferir a Portela. E não seria a TAP a partir para Alcochete, deixando a sua concorrência num apelativo aeroporto localizado em plena cidade. O congestionamento continuaria. E o problema não estaria resolvido.


De João Villalobos a 11 de Janeiro de 2008 às 18:07
«...se o Governo andou a reboque de alguém foi de Marques Mendes». Caramba. É preciso vir aqui para ouvir estas verdades :)


De Anónimo a 11 de Janeiro de 2008 às 16:52
Então quando estiveram no Governo o PPD/PSD mais o PP nunca vieram defender que o aeroporto não devia ser na Ota.Esta fulano é completamente irresponsável.Lá vai o Cavaco ter que segurar o Sócrates para esta personagem não chegar ao poder.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds