Segunda-feira, 30 de Junho de 2008
E o teu pai, já todos os putos da escola sabiam, tinha para aí uns 3 metros

Paulo Rangel, diz o Expresso, "lembra-se que quando passou da infantil para a primária esteve 15 dias sem dormir - era o peso da responsabilidade".



publicado por Pedro Sales às 14:30
link do post | comentar | ver comentários (6) |

Domingo, 29 de Junho de 2008
hara-kiri na net

dn.sapo.pt, página principal,

 

Que o DN era uma anedota na internet já os seus leitores sabiam. A navegação no site, os conteúdos, o motor de busca e a demente página inicial são web 0.1. Aliás, através da Wayback, podemos ver a página do DN em Junho de 1998:

 

Mais ou menos a mesma pobreza de hoje, mesmo assim mais navegável. A evolução do DN em mais de uma dezena de anos na net já mostra, portanto, claras tendências suicidas. Isto já vem, é claro, de muito longe: a tortura do grafismo e a sua evolução duvidosa são tópicos recorrentes na edição em papel.

 

Hoje chegámos à balda total. Desde as 7 da manhã até agora, 22h17, a página inicial do dn.sapo.pt  tem o Bastonário dos Advogados em landscape e ninguém diz nada. Está tudo a ver a bola, o pessoal do DN não deve ter acesso à net e o Sapo, obviamente, não está interessado em manter um nível mínimo de qualidade. Azar, fica assim.

 

É hara-kiri na net, digo eu.



publicado por Vasco Carvalho às 21:50
link do post | comentar | ver comentários (9) |

O artigo da semana

Os juízes de Palermo, da Sardenha e do País Basco não são suicidas, nem aqui os chamaria se fossem heróis tolos. Não misturam é o cu com as calças: o facto de serem alvo dos bandidos não os impede de exercer o que são. Não fecham as portas ao primeiro susto. Combatem quem os assusta tornando-se mais eles, mais juízes. Porque o susto os convenceu ainda mais que são necessários. As agressões do Tribunal da Feira deviam ter convencido os juízes, assim: "Olha, sou mesmo necessário." Em vez disso, suspenderam-se.

Um juiz que suspende julgamentos porque durante um julgamento se cometeu um crime, é um juiz que não acredita que os julgamentos servem para combater os crimes. E, já agora, do ponto de vista do criminoso: se um crime num julgamento acaba temporariamente com os julgamentos numa comarca, porque não mais crimes desses para prolongar a suspensão de julgamentos? E porque não estender a táctica a todos os tribunais portugueses?
Ferreira Fernandes, no Diário de Notícias



publicado por Pedro Sales às 18:17
link do post | comentar | ver comentários (1) |

O "Público" não errou, ou o spinning do governo em acção

“Segundo a notícia, apenas Espanha, Grécia, Hungria, Chipre e Bélgica declararam firme oposição à directiva, no sentido de que não venha a ser aprovada pelo PE. Perante o silêncio do governo, fica a ideia de que uma boa dose de europeísmo crítico só faria bem ao PS.” André Freire, Público, 23/6/2008

Depois de ter recebido um email do assessor de imprensa do Ministério do Trabalho, no qual este garante que “Portugal se posicionou contra esta proposta de directiva (exactamente a mesma posição adoptada pelo Governo,  espanhol)”, André Freire corrige, no Ladrões de Bicicletas, o sentido do seu artigo. Um único problema. Ao contrário do mail do prestável assessor, que segue o governo e joga com as palavras para esconder a ambiguidade da posição do Ministério do Trabalho, Portugal não votou contra e não seguiu a posição do Governo Espanhol.


O título do comunicado do Conselho de Ministros é sugestivo: “Portugal não votou favoravelmente directiva da UE sobre tempo de trabalho”. Alguém acredita que, se tivesse votado desfavoravelmente, como assegura o assessor do MST, era este o título do comunicado e não, como é normal, um mais enfático “Portugal votou contra directiva da UE sobre tempo de trabalho”? Portugal não votou favoravelmente, é verdade, mas isso é bem diferente de dizer que se “posicionou contra“. Pior, ao contrário da Espanha, Grécia, Hungria, Chipre e Bélgica, que tornaram pública a sua oposição, e garantiram que tudo iriam tentar para que a directiva fosse alterada em favor dos trabalhadores no Parlamento Europeu, o governo do PS permaneceu silencioso e nunca desfez a ambiguidade da sua não posição.


Diz André Freire, cuja honestidade é de saudar, que foi induzido em erro pela notícia do Público, de onde tirou a informação e pelo facto desta nunca ter sido desmentida. É verdade, a notícia nunca foi desmentida, e por uma razão que o prestável assessor muito bem sabe: o Governo não pode desmentir as suas próprias afirmações e as notícias de todas as agências noticiosas internacionais.


Este post do André Freire, relatando o processo pela qual - agora sim - foi induzido em erro, é um típico exemplo de como funciona o spinning dos assessores do governo Sócrates. Jogando com a ambiguidade das palavras, preferem fazer-nos passar por estúpidos. Portugal não apoiou, mas também não se opôs. Preferiu assobiar para o lado. Baixinho e calado. A mais estúpida das posições. Para não comprometer a imagem de bom aluno…ou a carreira que tanto  parece preocupar José Sócrates. 



publicado por Pedro Sales às 12:44
link do post | comentar | ver comentários (1) |

um santo domingo

depois de Pinto da Costa, Carolina e Vojtyla, quis o Senhor juntar Cavaco, Maria e Grrratzinger.

 

Aproveitamos a santa ocasião para dar vivas pela raça lusa, abençoada pelos Céus, pobrezinha mas asseadinha.



publicado por Vasco Carvalho às 00:39
link do post | comentar | ver comentários (6) |

Sábado, 28 de Junho de 2008
O verdadeiro Balboa

Vejo agora que a mais recente contratação do Benfica dá pelo nome de Balboa. Se era para recuperar o espírito do herói de Hollywood, mais valia contratar este...

...que até tem a vantagem de saber dar uns toques na bola, como se pode ver aqui.


Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 20:22
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Com o dinheiro dos outros também eu faço excelentes negócios

O Gabriel Silva chama a atenção para o pungente apelo de João Pereira Coutinho para que o governo subsidie, com um cêntimo por litro, a criação de um ‘cluster’ do biodiesel em Portugal. O desconsolo de Pereira Coutinho é elucidativo. É que o Governo já apoia a produção de biodiesel e não é com um cêntimo por litro, mas com a isenção fiscal de 28 cêntimos por cada litro. Para a produção de gasolina “verde” o negocio é ainda mais ruinoso. São 40 cêntimos por cada litro que voam dos bolsos dos contribuintes. Pelos vistos, não chega. Se, com o petróleo nos 141 dólares, o negócio não é lucrativo, parece-me que mais valia pararmos de subsidiar um modelo falido e que, pelo meio, tem ajudado a fazer disparar o preço dos bens alimentares. Como cidadãos poupávamos no supermercado, e, como contribuintes, no Orçamento de Estado.


O mais curioso nesta história é que a Junta de Freguesia da Ericeira, que não pediu apoio financeiro a ninguém para pôr a sua frota de carros a andar com óleos alimentares reciclados (este sim, um modelo ambientalmente correcto), tem um processo de penhora no valor de 7000 euros, porque o Ministério das Finanças reclama o ISP que a Junta poupou com a sua capacidade de iniciativa. Moral da história. Para se fazer negócio em Portugal nada como pedir subsídios ao Estado. Não interessa que o modelo de negocio seja uma desgraça. Isso é um pormenor irrelevante.



publicado por Pedro Sales às 16:33
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Quarta-feira, 25 de Junho de 2008
Mr Rogeiro goes to Guantanamo

Nuno Rogeiro foi a Guantanamo e levou uma câmara da SIC com ele (o resultado pode ser visto aqui). Segundo este repórter acidental, “viemos ver o que é que se passa, exactamente, com os detidos da guerra contra o terrorismo”. Ver, ver, não vimos nada. Como a própria SIC confirma, todo o material foi vistoriado e censurado pelas forças armadas norte-americanas. O que vimos e ouvimos não passa de um mau remake da história da Carochinha, desta vez adaptada a um campo de concentração assepticamente transformado numa prisão como as outras. Tortura, detenção sem culpa formada durante anos e julgamentos à margem da lei?  Sim, no início pode ter havido um “tratamento cruel”, mas as coisas têm melhorado. Agora até já há umas setas viradas para Meca e os presos podem jogar basquetebol e rezar em conjunto.


Tanta condescendência tinha que dar em bandalheira, nesta “prisão” onde um assessor garante que “as regras de disciplina são mais rígidas para os soldados do que para os detidos” e a psiquiatra confirma que os presos ouvem vozes. Resultado da tortura, pensamos. Nada disso. Faz parte dos hábitos da cultura, "associada à maioria dos detidos", “ouvir génios”. Desta vez, infelizmente, parece que não conseguiram escutar o bom do Rogeiro. É pena. Sempre dava para desanuviar o ambiente enquanto esperavam pela jogatana da tarde.



publicado por Pedro Sales às 14:03
link do post | comentar | ver comentários (9) |

Choque tecnológico

Para justificar o aumento das propinas, o Governo de António Guterres garantiu que estas verbas serviriam apenas para “aumentar a qualidade do ensino” e nunca seriam usadas para pagar as despesas de funcionamento das faculdades. As propinas estavam indexadas ao salário mínimo, um mecanismo que caiu pouco depois com o Governo do PSD/PP. As propinas duplicaram e andam agora pelos 900 euros/ano, um dos valores mais altos em toda Europa. Pelo meio, o número de alunos no ensino superior cresceu 46% mas o investimento público diminui 12%. As propinas foram escondendo as condições miseráveis em que se vai trabalhando nas instituições do ensino superior. Quando a manta é pequena, fica-se sempre destapado. Como agora aconteceu em Aveiro, onde a Universidade vai pagar os subsídios de férias recorrendo ao dinheiro destinado à investigação científica. Deve ser isto a que o Governo chama de choque tecnológico.



publicado por Pedro Sales às 12:09
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Terça-feira, 24 de Junho de 2008
O PSD é um partido estranho

A United Airlines anunciou o despedimento de 950 pilotos, dizendo que tem que reduzir a frota devido ao aumento dos combustíveis. A TAP pondera suspender várias ligações aéreas pelos mesmos motivos. Perante o aumento dos combustíveis, que tudo indica ter vindo para ficar, quais são os investimentos públicos em novas infra-estruturas que preocupam o PSD? O aeroporto? As auto-estradas? Nada disso. A ligação ferroviária à rede europeia de alta velocidade. Pois...



publicado por Pedro Sales às 15:56
link do post | comentar | ver comentários (14) |

As inabaláveis convicções do sr. ministro

Em mais uma lamentável intervenção, o ministro da Agricultura acusou as confederações de agricultores de terem ligações politicas à “extrema-esquerda e à direita mais conservadora, que pensam que os problemas se resolvem com mais subsídios”. Estas declarações tiveram lugar à entrada para o Conselho de Ministros da Agricultura. Terminada a reunião, o ministro voltou a falar aos jornalistas para anunciar uma linha de apoio de 40 milhões de euros aos pescadores.
 



publicado por Pedro Sales às 14:12
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Segunda-feira, 23 de Junho de 2008
O PSD está contra, só ainda não sabe porquê

O secretário-geral do PSD, Marques Guedes, diz que a contestação das novas infra-estruturas é "uma das prioridades de acção do partido". Questionado sobre quando é que a direcção do PSD concretizará quais as obras que devem ser travadas, Marques Guedes pediu compreensão, lembrando que o partido acaba de sair de um Congresso. O PSD desafia a lógica da compreensão. A líder do partido encerra o congresso dizendo que as novas infra-estruturas são “um colossal erro politico” deste Governo, mas ainda não sabe porquê e que  obras é que são um erro. Está a estudar o assunto…

 

Para quem julgava que a má moeda do PSD se esgotava no eixo Menezes/Santana Lopes,  ponha os olhos em Ferreira Leite e na equipa que a rodeia. Isto ainda agora começou e já promete.



publicado por Pedro Sales às 20:07
link do post | comentar | ver comentários (5) |

Os ricos que paguem a saúde (mais ou menos)

Só há um pais da OCDE em que o Estado não garante os cuidados universais de saúde. Nos EUA, onde o Medicare garante a saúde dos pobres, todos os outros têm que pagar pelo seu bolso os famigerados seguros. Resultado. No país que mais gasta com a saúde em todo o mundo, 46 milhões de pessoas não têm acesso a nenhum cuidado de saúde, público ou privado.

 

É a partir deste excelente exemplo de ineficiência e iniquidade que Ferreira Leite que conter as despesas do Estado. Não apresenta um número sobre o SNS que exija a alteração da sua filosofia, o que se compreende quando estamos a falar do serviço público mais eficaz e que, ao contrário de quase tudo no país, se encontra entre os melhores do mundo. Os ricos que paguem a saúde, parece ser o mote deste novo PSD. Como os ricos já não põem os pés no serviço público, fica-se sem perceber onde é que este serviço universal empobrecido vai melhorar o que quer que seja. A não ser, claro, que Ferreira Leite pretenda mexer no bolso na classe média e média-baixa. A mesma que já se encontra sobreendividada, recebendo salários de mil e poucos euros para pagar 500 ao banco pela prestação da casa.

 

Ferreira Leite começou a sua campanha mostrando-se preocupada com a pobreza e o empobrecimento da classe média. A sua primeira proposta é coerente. Nivelar por baixo, destruindo o melhor e mais eficiente serviço público para promover a iniciativa privada. O “novo” PSD pode ter menos aparato cénico e ser menos histriónico, mas é apenas uma nova embalagem para a demagogia de sempre.



publicado por Pedro Sales às 14:10
link do post | comentar | ver comentários (5) |

Domingo, 22 de Junho de 2008
Iliteracia funcional

Manuela Ferreira Leite defende que o SNS "deve ser universal e de acesso gratuito a todos os que não têm meios para comparticipar o custo dos serviços prestados". Afinal, parece que o facilitismo das provas de português não vem de hoje. Ferreira Leite, que até foi ministra da educação, revela uma relação com a língua de Camões que devia envergonhar os deputados do PSD na comissão de Educação. Na hipótese benevolente de terem percebido o disparate, claro.



publicado por Pedro Sales às 18:27
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Sábado, 21 de Junho de 2008
Um importúnio chamado realidade

O espaço de opinião nos jornais rege-se por regras bem distintas das reservadas para a informação. Mas, mesmo sendo uma interpretação subjectiva da realidade, convém não ter com esta uma relação tão distante como a hipótese do petróleo chegar aos 40 dólares na próxima semana. A crónica de hoje de Pulido Valente vai por este caminho, tendo o prolífico colunista descoberto que o “o Bloco e, em parte, o PC resolveu aproveitar o Europeu para uma campanha contra o futebol”. “O Bloco até descobriu uma conjura imensa entre a “comunicação social” e as forças do capitalismo para anestesiar os portugueses com as proezas de Ronaldo? Prova do crime? O tempo que a televisão perdeu com o campeonato.“

 

Um único problema. Não dei por nenhum dirigente do Bloco, ou do PCP, ter dito qualquer coisa de que se assemelhe vagamente à tese levantada por Pulido Valente, quanto mais uma campanha organizada. Aliás, talvez valha a pena reparar que VPV não só não apresenta uma única citação como não nomeia quem andou a difundir tal “campanha”. É compreensível. Para quê deixar que a realidade atrapalhe uma boa crónica? Curiosamente, que eu tenha reparado, o único político que se insistiu na tese da anestesia do Euro, “alimentado a milhões de euros pelo Governo na televisão "pública" que devia ser "diferente, foi Pacheco Pereira. Pulido Valente anda desatento. Faz umas boas décadas que Pacheco Pereira deixou o “marxismo vulgar”. 


PS: Uma dúvida. Para além dos conceitos marxistas, como a alienação, a única vez que VPV usa as aspas neste delirante artigo é quando se refere à comunicação social. Como não está a citar ninguém, será que isso quer dizer que Pulido Valente encara a comunicação social como uma entidade metafórica?

 

PS1: Vale a pena ler o que diz Vítor Dias sobre este assunto.
 



publicado por Pedro Sales às 20:30
link do post | comentar | ver comentários (7) |

Sexta-feira, 20 de Junho de 2008
Prometemos acabar com os privilégios, as injustiças são noutra repartição

José Sócrates defendeu o aumento da idade da reforma e do número de anos de descontos com a necessidade de equiparar os regimes e acabar com os privilégios dos funcionários públicos. Ontem, o Partido Socialista chumbou um projecto do BE para atribuir a pensão de reforma por inteiro a todos aqueles que, tendo 40 anos de descontos, ainda não atingiram os 65 anos de idade. Uma proposta que pretendia defender todos aqueles que, tendo começado a trabalhar com 12 ou 13 anos, vêm as suas pensões penalizadas depois de uma vida de trabalho. Quando a proposta foi apresentada, Fernando Madrinha escreveu um artigo de opinião no Expresso dizendo que o "o país não tem moral para recusar a reforma a quem trabalha e desconta há mais de 40 anos". Estava certo. Não contava era com o PS.


Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 08:51
link do post | comentar | ver comentários (13) |

Adeus

Portugal começa um jogo com a Alemanha sempre em desvantagem. As equipas nacionais têm que jogar bem e não cometer erros. À Alemanha basta ser eficaz, algo que faz com a naturalidade de quem bebe um copo de água. Parece pouco, e é costume desvalorizarmos a forma “tosca” do seu jogo, mas há ali um entendimento quase obsessivo dos fundamentos do jogo que merece respeito. Portugal jogou razoavelmente, à excepção de um Deco superlativo, mas cometeu erros defensivos e tácticos inaceitáveis numa equipa de juniores. Scolari foi fiel à sua imagem de marca: ser sempre o último a reconhecer um erro. Ronaldo na posição de Nuno Gomes desaparece de jogo. Não tinha funcionado com a Turquia, não era certamente com as torres alemãs que iria resultar. Há uma semana que meio país parece atordoado com a  substituição do treinador mais sobrevalorizado de que me lembro. Eu, por mim, preocupava-me mais com a substituição de Deco. Foi dos seus pés que saiu a diferença entre o futebol triste e desgarrado da fase de qualificação e a equipa que esteve no europeu. A sanidade mental pode regressar aos noticiários. O país segue dentro de momentos.


Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 08:21
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Quinta-feira, 19 de Junho de 2008
Vai uma aposta?

Um relatório do Senado dos EUA considerou que as torturas deixaram sequelas físicas e psicológicas nos ex-prisioneiros de Guantanamo. Antonio Taguba, o general que liderou a investigação a Abu Ghraib, considera que é hoje evidente que a "administração Bush cometeu crimes de guerra". "A única dúvida que permanece é a de saber se serão julgados aqueles que autorizaram as práticas de tortura".


Etiquetas: , ,

publicado por Pedro Sales às 15:13
link do post | comentar |

Civilizada rima com controlada

A França está a um passo de ter uma lei que permite cortar o acesso à net a quem for apanhado a partilhar ficheiros. Esta lei, que Sarkozy entende como um "decisivo momento para o futuro de uma Internet civilizada", permite que os operadores de comunicações passem a monitorar todo o tráfego que circula na rede, instalando um sistema que vigia a autenticidade dos conteúdos transferidos.


Depois da tentativa da União Europeia para “civilizar” os blogues, a França dá o primeiro passo para um controlo sem precedentes da informação pessoal que circula na net. As intenções, como sempre, são as melhores. Como na Suécia, cujo Parlamento chumbou ontem uma lei que permitia aos serviços de segurança controlar quase todas as chamadas telefónicas, emails e SMS sem autorização judicial.Perante o massivo protesto da oposição e da Federação dos Jornalistas, a coligação de 4 partidos de direita aceitou alterar a lei na especialidade. Uma questão de tempo?



publicado por Pedro Sales às 09:21
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Vigiar todos para não prevenir nada

Ainda a propósito da crescente quantidade de informação pessoal recolhida pelos Estados modernos, sempre em nome da nossa segurança, vale a pena ler este artigo de opinião no Guardian. Demasiada informação arruína qualquer investigação, apenas servindo para tratar todos os cidadãos como possíveis criminosos.  “The problem of sifting through vast amounts of data was highlighted by the US 9/11 Commission, which concluded that the American intelligence community knew in advance that the attacks on the World Trade Center and Pentagon were in the offing, they just didn't know they knew it. The pieces were all there for anyone who knew to look for them, needles buried in a haystack of irrelevancies.”



publicado por Pedro Sales às 09:08
link do post | comentar |

Quarta-feira, 18 de Junho de 2008
Sol na eira e chuva e nabal

O Governo português adoptou uma nova e original estratégia. Não se opõe às directivas mais polémicas da União Europeia, como a do retorno dos imigrantes ilegais ou a das 65 horas semanais de trabalho, mas diz que não as irá aplicar em Portugal. Alguém já devia ter explicado duas coisas ao nosso diligente Governo. As directivas comunitárias, depois de aprovadas, são transpostas para a legislação nacional. O Governo até pode passar ao lado das medidas e prazos mais polémicos, como agora garante, mas quem é que nos assegura que será essa a posição do executivo seguinte ao encontrar a porta aberta? É quase certo que Portugal não conseguiria travar estas directivas, mas uma maior firmeza nas convicções, alinhando com os  países que se opuseram à alteração do horário de trabalho, não teria ficado nada mal. Assim, parece que há um discurso para consumo interno e uma preocupação internacional em não manchar a imagem de bom aluno. Ou a carreira de José Sócrates, para usar a expressão do próprio.


Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 22:54
link do post | comentar | ver comentários (6) |

Hulk é mau filme. Hulk é porcaria filme

Não contente em dar a nota mínima ao filme "Hulk",  Peter Bradshaw, do Guardian, escreveu toda a crítica em hulklês. O resultado é hilariante.

 

"Hulk. Smash!" Yes. Hulk. Smash. Yes. Smash. Big Hulk smash. Smash cars. Buildings. Army tanks. Hulk not just smash. Hulk also go rarrr! Then smash again. Smash important, obviously. Smash Hulk's USP. What Hulk smash most? Hulk smash all hope of interesting time in cinema. Hulk take all effort of cinema, effort getting babysitter, effort finding parking, and Hulk put great green fist right through it. Hulk crush all hopes of entertainment. Hulk in boring film. Film co-written by star. Edward Norton. Norton in it. Norton write it. Norton not need gamma-radiation poisoning to get big head. Thing is: Hulk head weirdly small.


Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 16:14
link do post | comentar | ver comentários (2) |

A Europa está em crise (II)

O Parlamento Europeu aprovou hoje a directiva do retorno, também conhecida como a directiva da vergonha. É um nome mais correcto para um documento que permitirá a detenção, por um período que pode chegar aos 18 meses, dos imigrantes ilegais e das crianças que não se encontrem acompanhadas. Em tempos de crise a direita reage como sempre faz quando quer manter o apoio popular, mostrando-se forte com os mais fracos dos mais fracos. O apoio de grande parte da bancada socialista ainda é mais vergonhoso.


Os imigrantes representam menos de 5% do total de cidadãos residentes em Portugal. Contribuem para a segurança social e para a riqueza do país, ocupando grande parte dos trabalhos que mais ninguém aceita. Num país crescentemente envelhecido, o futuro de Portugal passará pela forma como souber integrar a riqueza da diversidade dos seus conhecimentos, nunca pela diabolização dos imigrantes. Mas não deixa de ser sintomático encontrar Paulo Portas, que vem exigido medidas quase diárias do Estado para reverter o declínio da taxa de natalidade, assumir-se como o principal defensor desta directiva. No fundo bate certo. Grande parte do discurso sobre a tragédia que é a diminuição da taxa de natalidade, apenas pretende esconder a rejeição sistemática da imigração. Paulo Portas aí está para o provar.


Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 10:58
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Ajuste de contas

Em vez de assumir a responsabilidade pelo estado miserável em que deixou a gestão camarária da capital, o PSD insiste em usar uma maioria resultante de uma eleição sem qualquer tipo de legitimidade política para ajustar contas com o passado. Só assim se compreende que o PSD tenha feito a Assembleia Municipal de Lisboa aprovar uma moção de censura ao vereador Sá Fernandes...por causa de uma decisão do vereador Marcos Perestrello. A iniciativa, que não tem qualquer resultado prático, torna-se ainda mais caricata quando se percebe que a moção é unipessoal e não é extensível ao executivo, como manda a lei.

Mas o melhor estava guardado para o fim. Um dos motivos para a moção de censura é a presença de uma placa, alusiva ao financiador das obras de requalificação de um parque infantil, transformada pelo PSD na tentativa de “privatizar o Jardim da Estrela, entregando-o à conhecida cadeia de hipermercados Continente, mais uma vez prejudicando todos os seus utilizadores em benefício de um poderoso grupo económico”. Bem pode Ferreira Leite ganhar as directas que quiser no PSD. O seu partido provou ontem que continua agarrado a uma imagem providencial de Santana Lopes, cuja gestão ainda defende, e não hesita em usar uma maioria fraudulenta para ajustar as contas com um passado em que Sá Fernandes lhes estragou os negócios para a privatização de um espaço público que agora parecem ser os mais acérrimos defensores. Olha quem...


Etiquetas: , ,

publicado por Pedro Sales às 09:46
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Terça-feira, 17 de Junho de 2008
Eles votam McCain (e sabem porquê)

Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 18:51
link do post | comentar |

Trabalhar para (sobre)viver

Nunca houve tanta gente a ter um segundo trabalho: Muito se fala dos portugueses que não conseguem encontrar um emprego - o Instituto Nacional de Estatística (INE) estima que sejam 427 mil. Mas outros há que têm, não um, mas dois (ou mais) trabalhos. Na maioria dos casos, não é por gosto, mas por necessidade, recorrendo a uma segunda actividade, exercida em tempo parcial, para compor o orçamento ao final do mês. No primeiro trimestre deste ano eram 339,3 mil, mais 7,5% do que no período homólogo do ano anterior, situando-se a um nível historicamente elevado.



publicado por Pedro Sales às 16:48
link do post | comentar | ver comentários (2) |

O buzinão

Milhares de portugueses acordaram hoje decididos. O preço dos combustíveis não pára de subir e o dia de hoje é tão bom como outro qualquer para se marcar uma posição. Levantaram-se, tomaram o pequeno-almoço e entraram no carro decididos a buzinar até chegar ao trabalho. Ao seu lado, quem ia nos transportes públicos deve ter achado tudo aquilo um bocado estranho. A mim também.  



publicado por Pedro Sales às 13:07
link do post | comentar | ver comentários (10) |

Com toda a dranquilidade

O Tuttosport fez as contas e constatou que, de acordo com o valor de mercado dos jogadores, a selecção portuguesa de futebol é a mais cara do Euro 2008. São mais de 300 milhões de euros. É verdade que ajuda ter Ronaldo, que custa mais que toda a equipa da Áustria, ou o facto dos extremos nacionais estarem avaliados em 185 milhões de euros. Um dado em comum. Simão, Quaresma, Ronaldo e Nani são todos oriundos das escolas de formação do Sporting, de onde já tinham vindo Figo ou Futre. O mais curioso é que, apesar de se ter notabilizado por ter os melhores extremos do mundo, e de ter facturado mais de 60 milhões de euros em poucos anos com a sua transferência, o Sporting deixou de jogar com extremos. Ou melhor, as escolas de formação jogam, mas a equipa principal não. Fiel ao tal losango, de Paulo Bento, o Sporting parece andar a formar jogadores para as outras equipas. Deve ser a isso que Soares Franco chama “valorizar os activos do Sporting”. Eu chamar-lhe-ia outra coisa.



publicado por Pedro Sales às 00:06
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Segunda-feira, 16 de Junho de 2008
Marketing global, xenofobia local

Ontem, poucos minutos antes do jogo com a Suíça, era esta a edificante mensagem que estava no gigantesco cartaz da Nike no Saldanha. Dias antes anunciava que “tínhamos” feito os turcos em shoarma. Como ontem perdemos com a Suíça, a frase de hoje já não faz nenhuma alusão ao adversário, perdendo-se uma excelente oportunidade para a Nike fazer  piadas de mau gosto com os queijos ou chocolates suiços. O mais engraçado é que estas frase não se encontram no site português da campanha da Nike, nem no blogue que a mesma impinge como se fosse da selecção. Compreende-se. A campanha pode ser global, mas o chauvinismo xenófobo varia de país para país. O que eu gostava mesmo de saber é que lindas frases sobre Portugal estarão hoje espalhadas na Suíça. Qualquer coisa do género, “até os fizemos arrotar o chouriço”, ou, melhor, “até os fizemos cortar o bigode”.



publicado por Pedro Sales às 10:27
link do post | comentar | ver comentários (8) |

McCain critica McCain...

...ou como se apanha um candidato "esquecido" em 92 segundos.


Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 08:14
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds